20 de jun de 2014

Os animais são sensitivos, puros e espirituais.




   Os animais não existem por acaso ou só por fauna natural. Eles tem uma grande ligação pura e espiritual com a natureza. Os animais são um equilíbrio importante na evolução da raça humana, quer domésticos ou selvagens.
   Quando interagimos com os animais domésticos ( cachorro, gato, coelho, peixe...), trazemos para perto de nós fluidos benéficos para nossa alma, mas devemos verdadeiramente gostar dos bichanos, pois traze-los para perto só pelo benefício que ira ter, não surgirá o efeito desejado, pois é necessário ama-los com sinceridade de coração.
  Os animais domésticos tem a capacidade de ver a nossa alma, como também o profundo do nosso ser, os gatos nos observa através do nossos olhos, onde eles veem nosso espirito e sabem reconhecer se você é inclinado a ser bom ou ruim. Os cachorros detectam pelo cheiro que exalamos da nossa alma e sabem com exatidão se você busca o bem ou o mal. Podem acreditar, quando um cachorro ou gato não gostar de alguém, eles veem de fato quem somos.
  Bom, mas a níveis espirituais de animais, por exemplo: Existe pessoas com nível espiritual muito baixo( ruins) e que convivem com animais domésticos, a explicação é a seguinte: Esses animais geralmente são aqueles com instintos negativos e mantém um equilíbrio negativo com seus donos, são raças geralmente agressivas, que foram retirados do seu meio natural e que não houve evolução para conviver com seres humanos. Animais selvagens devem viver em liberdade no seu habitat natural, dando continuidade ao equilíbrio da natureza neste mundo.
  No mundo espiritual todos os animais são domésticos, convivem entre nós tranquilamente, são todos vegetarianos, já evoluíram espiritualmente, alcançando a plenitude perfeita.
 Fiquem sempre alertas quando deparar com pessoas que não gostam de animais, estas pessoas provavelmente são indivíduos ainda com espirito primitivo e que precisam de muitas reencarnações para evoluírem.
 Obs: Você necessariamente não precisa ter animais no convívio familiar, por vários motivos compreensíveis, tempo, trabalho, local adequado etc. Isto não significa que você não gosta deles, que isso fique bem claro.


                                                      Cris Rodrigues.
                                                                    Rio de Janeiro- 20/06/2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário